Depoimento – Ludmila Paula!

“Oi gente!!!! Hj para mim é um dia muito especial e quero compartilhar c vcs… Vou contar a minha historia…. Há 7 sem atras….eu participei de uma aula do EBA… Que dia feliz! Meu primeiro contato com a bicicleta…e foi sem rodinha!!! Hahaha Naquele momento conheci um anjo o Javer…que com seu sorriso fácil…tinha paciência e otimismo comigo. O tempo da aula foi corrido, mas os ensinamentos ficaram registrados.
O primeiro final de semana depois, eu consegui uma bike  dobravel emprestada. E lá foi eu e meu namorado para me ensinar a andar…. Acreditem: aprendi e consegui equilibrar sozinha!!!! Andava torta, mas conseguia andar sem ninguém segurar!!! Superei o medo…superei tudo!!!!! Como é bom a sensação…
Infelizmente tive que ficar 3 semanas sem andar de bicicleta. O primeiro final de semana que consegui voltar a andar…bateu a insegurança… Será que vou voltar a estaca zero? Mas vi que é verdade o ditado….aprendeu a andar de bicicleta nunca mais esquece. Realmente não tinha esquecido.
Passado o tempo… Hoje dia 16 de agosto, consegui dar uma volta completa na lagoa da Pampulha. Só tenho a agradecer a vcs pelo trabalho lindo exercido. Na real, vcs são anjos na vida das pessoas. Quero ir ai para dar um abraço em cada um de vcs, e dizer que vale muito a pena o tempo que vcs disponibilizam em prol do outro. Obrigada a vcs e ao meu namorado por realizarem meu sonho!!!
Como diz Raul: “Sonho que se sonha só, é só um sonho. Sonho que se sonha junto, é realidade…” Queria enviar uma foto andando de bike, mas tenho medo de tirar foto andando…então vai essa eu e meu namorado após a volta na lagoa!!!
Ludmila Paula
Mensagem da Ludmila Paula, que aprendeu a andar de bicicleta na Escola Bike Anjo (EBA). A EBA acontece sempre no último domingo do mês, lá na Praça do Ciclista, às 14h, com inscrições gratuitas e atendimentos por ordem de chegada.

Você já foi aluno da Escola Bike Anjo? Já participou da nossa pesquisa? Ainda dá tempo! Todos os alunos que responderem participarão do sorteio da nossa nova camisa. Para responder, clique aqui: https://bikeanjobh.typeform.com/to/v19VAL

Ah, e faça como a Ludmila: se você já aprendeu a andar, confirme sua presença no Pedal dos Rôias, que acontecerá no próximo domingo, dia 23/08, para passear pelas ruas da cidade em um trajeto bem tranquilo e terminar com um sorriso como o dela! 🙂 O link para o evento é: https://www.facebook.com/events/1674102802824728/

Anúncios

Depoimento – Caroline Saldanha

Vejam que legal o depoimento que recebemos da Caroline Saldanha, que aprendeu a andar de bicicleta na Escola Bike Anjo (EBA). A EBA acontece sempre no último domingo do mês, lá na Praça do Ciclista, às 14h, com inscrições gratuitas e atendimentos por ordem de chegada.

“Oi pessoal, sempre acompanho as postagens de vocês, mas nunca parei para agradecer o que vocês fizeram por mim. Quando eu era criança, minha mãe nunca deixou eu aprender a andar de bicicleta, sempre fui criada muito dentro de casa e andar de bicicleta para ela era sinônimo de menino na rua..hehehe.. Enfim, quase trinta anos se passaram e apesar da vontade o meu medo/vergonha era muito maior que qualquer coisa. A gente vai ficando velho e medroso né? Bem, sem querer eu descobri a página e fui em dois encontros, no segundo consegui andar sozinha pela primeira vez. Não sei descrever a emoção! Ano passado meu noivo me deu uma dobrável (meu xodó) e estamos andando no Mineirão nos fins de semana. Ainda tenho medo, prefiro as retas hahahah mas aos poucos vamos indo, né? Bom, gostaria de parabenizar vocês pela iniciativa, pela paciência e pelo tempo doado… Muito obrigada, de verdade!”

Carolina Saldanha
Uma boa dica para quem já aprendeu e precisa praticar: a esplanada do Mineirão, apesar de parecer um pouco com o deserto do Saara :-/, é um lugar legal para aprimorar as pedaladas sem ter que se preocupar muito com outros veículos (só com o pessoal do patins e skate) ou com obstáculos.

Você já foi aluno da Escola Bike Anjo? Já participou da nossa pesquisa? Todos os alunos que responderem participarão do sorteio da nossa nova camisa. Para responder, clique aqui: https://bikeanjobh.typeform.com/to/v19VAL

5.000 curtidas no Facebook!

5000curtidas

 

Nesta semana, ultrapassamos a marca de 5.000 curtidas na página do Bike Anjo BH no Facebook.

Para comemorar, lançaremos nos próximos dias uma pesquisa para saber qual contato os ex-alunos da Escola Bike Anjo estão tendo com a bicicleta.

Vamos sortear uma nova camisa do Bike Anjo BH entre todos que responderem. Se liga!

E você, ainda não curtiu nossa página? Aproveite para curtir agora então e ajude-nos a divulgar o Bike Anjo BH!  https://www.facebook.com/bikeAnjoBH

O que o Código de Trânsito diz sobre bicicletas e ciclistas

Por Willian Cruz em vadebike.org

Ao contrário do que muita gente acredita, o texto do Código Brasileiro de Trânsito valoriza essencialmente a vida, não o fluxo de veículos. Na redação de seus artigos, percebe-se uma preocupação acima de tudo com a integridade física dos diversos atores do tráfego, sejam eles motoristas, motociclistas, ciclistas ou pedestres.

As bicicletas e os ciclistas são classificados sob os termos bicicletasciclosciclistasveículos de propulsão humana (VPH) e veículos não motorizados. Veja abaixo todos os artigos que se referem a esse meio de transporte, reconhecido como veículo e com direito de circulação pelas ruas.

Os órgãos de trânsito têm obrigação de se preocupar com os ciclistas:

Art. 21. Compete aos órgãos e entidades executivos rodoviários da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:
(…)
II – planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e segurança de ciclistas.

(o Art. 24 dispõe o mesmo sobre os órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios)

Pedestres têm prioridade sobre ciclistas; ciclistas têm prioridade sobre motos e carros:

Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
(…)
§ 2º Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.

Os carros não devem nos fechar:

Art. 38. Antes de entrar à direita ou à esquerda, em outra via ou em lotes lindeiros, o condutor deverá:
(…)
Parágrafo único. Durante a manobra de mudança de direção, o condutor deverá ceder passagem aos pedestres e ciclistas, aos veículos que transitem em sentido contrário pela pista da via da qual vai sair, respeitadas as normas de preferência de passagem.

Ameaçar o ciclista com o carro é infração gravíssima, passível de suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo e da habilitação:

Art. 170. Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a via pública, ou os demais veículos:
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa – retenção do veículo e recolhimento do documento de habilitação.

Colar na traseira do ciclista ou apertar ele contra a calçada é infração grave:

Art. 192. Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo:
Infração – grave;
Penalidade – multa.

O carro deve dar preferência de passagem ao ciclista quando ele já estiver atravessando a via, mesmo que o sinal abra para o carro:

Art. 214. Deixar de dar preferência de passagem a pedestre e a veículo não motorizado:
I – que se encontre na faixa a ele destinada;
II – que não haja concluído a travessia mesmo que ocorra sinal verde para o veículo;
(…)
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa.
IV – quando houver iniciado a travessia mesmo que não haja sinalização a ele destinada;
V – que esteja atravessando a via transversal para onde se dirige o veículo:
Infração – grave;
Penalidade – multa.

Tirar fina é infração média:

Art. 201. Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinqüenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta:
Infração – média;
Penalidade – multa.

Se a fina for em alta velocidade, são duas multas (a média aí de cima mais essa grave aqui):

Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito:
(…)
XIII – ao ultrapassar ciclista:
Infração – grave;
Penalidade – multa;

A fina ainda pode ser considerada uma ultrapassagem inadequada. Veja como o Código determina que deva ser feita uma ultrapassagem:

Art. 29. O trânsito de veículos nas vias terrestres abertas à circulação obedecerá às seguintes normas:
(…)
XI – todo condutor ao efetuar a ultrapassagem deverá:
a) indicar com antecedência a manobra pretendida, acionando a luz indicadora de direção do veículo ou por meio de gesto convencional de braço;
b) afastar-se do usuário ou usuários aos quais ultrapassa, de tal forma que deixe livre uma distância lateral de segurança;
c) retomar, após a efetivação da manobra, a faixa de trânsito de origem, acionando a luz indicadora de direção do veículo ou fazendo gesto convencional de braço, adotando os cuidados necessários para não pôr em perigo ou obstruir o trânsito dos veículos que ultrapassou.

Devemos andar na rua, no sentido dos carros e nas faixas laterais da via (inclusive na esquerda em caso de vias de mão única, embora geralmente isso seja bastante perigoso, sobretudo em avenidas de fluxo rápido). E temos preferência de uso da via!

Art. 58. Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Parágrafo único. A autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via poderá autorizar a circulação de bicicletas no sentido contrário ao fluxo dos veículos automotores, desde que dotado o trecho com ciclofaixa.

Ao contrário da crença popular, NÃO EXISTE VELOCIDADE MÍNIMA NA FAIXA DA DIREITA!

Art. 219. Transitar com o veículo em velocidade inferior à metade da velocidade máxima estabelecida para a via, retardando ou obstruindo o trânsito, a menos que as condições de tráfego e meteorológicas não o permitam, salvo se estiver na faixa da direita:
Infração – média;
Penalidade – multa.

Bicicleta pode ultrapassar carros e usar o corredor quando estiverem parados ou aguardando em fila (quando estiverem em movimento, aguarde atrás deles como veículo e não se arrisque):

Art. 211. Ultrapassar veículos em fila, parados em razão de sinal luminoso, cancela, bloqueio viário parcial ou qualquer outro obstáculo, com exceção dos veículos não motorizados:
Infração – grave;
Penalidade – multa.

Somos proibidos de circular em vias de trânsito rápido (que não são qualquer avenida – veja definição logo abaixo) e em rodovias sem acostamento, além de algumas outras coisinhas que pouquíssimos ciclistas sabem:

Art. 244, § 1º Para ciclos aplica-se o disposto nos incisos III, VII e VIII, além de:
a) conduzir passageiro fora da garupa ou do assento especial a ele destinado;
b) transitar em vias de trânsito rápido ou rodovias, salvo onde houver acostamento ou faixas de rolamento próprias;
c) transportar crianças que não tenham, nas circunstâncias, condições de cuidar de sua própria segurança.

Inciso III – fazendo malabarismo ou equilibrando-se apenas em uma roda;
Inciso VII – sem segurar o guidom com ambas as mãos, salvo eventualmente para indicação de manobras;
Inciso VIII – transportando carga incompatível com suas especificações

Via de trânsito rápido, aquelas em que o ciclista não pode trafegar, são apenas as que não tenham esquinas nem faixas de travessia (por exemplo, a Av. 23 de Maio, em São Paulo). Em todas as outras ruas e avenidas, PODE.

VIA DE TRÂNSITO RÁPIDO – aquela caracterizada por acessos especiais com trânsito livre, sem interseções em nível, sem acessibilidade direta aos lotes lindeiros e sem travessia de pedestres em nível.

Estacionar um carro na ciclovia ou ciclofaixa é infração grave, sujeita a multa e guincho:

Art. 181. Estacionar o veículo:
(…)
VIII – no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público:
Infração – grave;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção do veículo;

Andar com o carro na ciclovia ou mesmo numa ciclofaixa é o mesmo que dirigir na calçada, infração gravíssima:

Art. 193. Transitar com o veículo em calçadas, passeios, passarelas, ciclovias, ciclofaixas, ilhas, refúgios, ajardinamentos, canteiros centrais e divisores de pista de rolamento, acostamentos, marcas de canalização, gramados e jardins públicos:
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa (três vezes).

Bicicleta na calçada, só com autorização da autoridade de trânsito e sinalização adequada na calçada:

Art. 59. Desde que autorizado e devidamente sinalizado pelo órgão ou entidade com circunscrição sobre a via, será permitida a circulação de bicicletas nos passeios.

Quer passar pela calçada ou atravessar com a bike na faixa? O CTB manda desmontar:

Art. 68. É assegurada ao pedestre a utilização dos passeios (…)
§ 1º O ciclista desmontado empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre em direitos e deveres.

Buzina, espelho e “sinalização” na frente, atrás, dos lados e nos pedais (que pode ser entendida por refletivos) são obrigatórios pelo Código, mas capacete não:

Art. 105. São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre outros a serem estabelecidos pelo CONTRAN:
(…)
VI – para as bicicletas, a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, e espelho retrovisor do lado esquerdo.

Obs.:O Projeto de Lei 2956/2004 pretende cancelar a obrigatoriedade do uso de “campainha” e espelho retrovisor, mas está em tramitação desde 2004. Em 2008, foi encaminhado ao Senado.

Os fabricantes e importadores são obrigados a fornecer as bicicletas com os equipamentos citados acima:

Do mesmo Art. 105:
§ 3º Os fabricantes, os importadores, os montadores, os encarroçadores de veículos e os revendedores devem comercializar os seus veículos com os equipamentos obrigatórios definidos neste artigo, e com os demais estabelecidos pelo CONTRAN.

Importadores e fabricantes de bicicletas são obrigados a fornecer um manual contendo mais ou menos tudo isso que eu estou dizendo aqui, além de instruções sobre direção defensiva e primeiros socorros:

Art. 338. As montadoras, encarroçadoras, os importadores e fabricantes, ao comerciarem veículos automotores de qualquer categoria e ciclos, são obrigados a fornecer, no ato da comercialização do respectivo veículo, manual contendo normas de circulação, infrações, penalidades, direção defensiva, primeiros socorros e Anexos do Código de Trânsito Brasileiro.

O Código dá direito aos Municípios de registrar e licenciar as bicicletas caso decidam fazer isso:

Art. 129. O registro e o licenciamento dos veículos de propulsão humana, dos ciclomotores e dos veículos de tração animal obedecerão à regulamentação estabelecida em legislação municipal do domicílio ou residência de seus proprietários.
[ver também Art.24, incisos XVII e XVIII e Art.141]

Deixar de andar com a bicicleta em fila única pela lateral da rua ou acostamento é infração média:

Art. 247. Deixar de conduzir pelo bordo da pista de rolamento, em fila única, os veículos de tração ou propulsão humana e os de tração animal, sempre que não houver acostamento ou faixa a eles destinados:
Infração – média;
Penalidade – multa.

Bicicleta na calçada ou pilotagem “agressiva” é motivo para multa e apreensão da bicicleta (mas a autoridade é obrigada a fornecer um recibo!):

Art. 255. Conduzir bicicleta em passeios onde não seja permitida a circulação desta, ou de forma agressiva, em desacordo com o disposto no parágrafo único do art. 59:
Infração – média;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção da bicicleta, mediante recibo para o pagamento da multa.

Acostamento é lugar de bicicleta sim:

ACOSTAMENTO – parte da via diferenciada da pista de rolamento destinada à parada ou estacionamento de veículos, em caso de emergência, e à circulação de pedestres e bicicletas, quando não houver local apropriado para esse fim.

Bicicleta também é veículo:

BICICLETA – veículo de propulsão humana, dotado de duas rodas, não sendo, para efeito deste Código, similar à motocicleta, motoneta e ciclomotor.

Bicicletário é o nome oficial do “estacionamento de bicicletas”:

BICICLETÁRIO – local, na via ou fora dela, destinado ao estacionamento de bicicletas.

O chamado bordo da pista é a lateral da via, mas sem uma definição clara de até onde é considerado bordo (por isso, ocupe a faixa, é mais seguro):

BORDO DA PISTA – margem da pista, podendo ser demarcada por linhas longitudinais de bordo que delineiam a parte da via destinada à circulação de veículos.

Ciclo é uma bicicleta, um triciclo, etc., desde que movido a propulsão humana:

CICLO – veículo de pelo menos duas rodas a propulsão humana.

Ciclofaixa é uma faixa exclusiva para bicicletas e outros VPH:

CICLOFAIXA – parte da pista de rolamento destinada à circulação exclusiva de ciclos, delimitada por sinalização específica.

Ciclovia é quando é separada dos carros (mas não é lugar de pedestre!):

CICLOVIA – pista própria destinada à circulação de ciclos, separada fisicamente do tráfego comum.

Calçada é para pedestres, bicicleta só circula nela em casos excepcionais:

PASSEIO – parte da calçada ou da pista de rolamento, neste último caso, separada por pintura ou elemento físico separador, livre de interferências, destinada à circulação exclusiva de pedestres e, excepcionalmente, de ciclistas.

Clique para ler a íntegra do Código de Trânsito

Na íntegra

Lei estadual de incentivo ao uso da bicicleta

Você sabia que MG tem lei de incentivo ao uso da bicicleta? Segue o texto da lei 16.939, de 2007 na íntegra. Vamos,todos juntos, fazer dela uma prática constante em meio ambiente.

Norma: LEI 16939 2007      Data: 16/08/2007        Origem: LEGISLATIVO
________________________________________
Ementa:    INSTITUI A POLÍTICA DE INCENTIVO AO USO DA BICICLETA NO ESTADO DE MINAS
GERAIS.
Fonte:    PUBLICAÇÃO – MINAS GERAIS DIÁRIO DO EXECUTIVO – 17/08/2007 PÁG. 1 COL. 2
________________________________________
Texto:

Institui a política de incentivo  ao
uso  da bicicleta no Estado de Minas
Gerais.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS,

O  Povo  do  Estado de Minas Gerais, por seus representantes,
decretou, e eu, em seu nome, promulgo a seguinte Lei:

Art.  1º  Fica instituída a política de incentivo ao  uso  da
bicicleta no Estado, com vistas a favorecer a ampliação das formas
de circulação nos espaços públicos.

Art. 2º São objetivos da política de que trata esta Lei:
I  –  estimular  o uso da bicicleta como meio  de  transporte
alternativo;
II  –  promover campanhas educativas voltadas para o  uso  da
bicicleta;
III – estimular a implementação de projetos e obras de infra-
estrutura cicloviária;
IV – incentivar o associativismo entre ciclistas.

Art.  3º Para a consecução dos objetivos previstos nesta Lei,
o Poder Executivo adotará, entre outras, as seguintes medidas:
I  –  capacitação de gestores públicos para a elaboração e  a
implantação de sistemas cicloviários;
II  – formulação de projetos e programas de incentivo ao  uso
da  bicicleta,  garantida  a participação  de  representantes  dos
ciclistas amadores e profissionais;
III  –  divulgação dos benefícios do ciclismo  como  meio  de
transporte e prática esportiva;
IV – estímulo ao desenvolvimento tecnológico;
V  – fomento à implementação de infra-estrutura para o uso da
bicicleta;
VI  –  publicação  de material informativo  sobre  o  uso  da
bicicleta;
VII   –  realização  de  cursos  e  seminários  nacionais   e
internacionais sobre a prática do ciclismo;
VIII  –  fomento à implementação de programas  municipais  de
mobilidade por bicicleta.

Art.  4º O Poder Executivo promoverá a integração da política
de   que   trata   esta  Lei  com  as  ações  a  ela  relacionadas
desenvolvidas em âmbito federal e municipal.

Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, aos 16 de agosto  de
2007;  219º  da  Inconfidência Mineira e 186º da Independência  do
Brasil.

AÉCIO NEVES – Governador do Estado

Fonte